Crítica: O SILÊNCIO DE MELINDA

Assisti a esse filme graças a uma indicação no blog da Lola. O filme é de 2004 e bem desconhecido por aqui. Adaptação do romance “Speak”, de Laurie Halse Anderson, a película se revela uma boa opção tanto em matéria de cinema, quanto em matéria de reflexão.

O filme aborda a história de Melinda Sordino, uma garota que parece totalmente deslocada de seu ambiente escolar. Ela quase não fala, não dialoga com os pais e sofre uma série de agressões psicológicas na escola. No decorrer dos fatos, descobrimos por meio de flash-backs que Melinda as sofre porque no ano anterior havia chamado a polícia durante uma festa de seus colegas. Desde então, vem sendo alvo das chacotas. Já devem estar se perguntando o que essa história banal tem de interessante e é aí que descobrimos que Melinda fora estuprada por uma galã do colegial, seu colega de escola. O peculiar é que ela não conta o ocorrido a ninguém. Nesse, ponto o filme colegial se transforma numa denúncia a que todos deveriam prestar atenção.

O início do filme já revela a dicotomia entre Melissa e seus colegas em uma cena brilhante em que se focaliza um all-star e uma sandalinha rosa cheia de frufrus. Outra cena que merece destaque é a protagonista no banheiro, tentando desenrolar o papel higiênico com muita dificuldade. Quem nunca teve dificuldade para desenrolar papel higiênico? Principalmente aqueles de banheiro público que estão meio molhados e grudam como cola. É melhor nem usar! Naquele momento, principalmente em seu contexto (assista ao filme), percebemos que a trajetória de Melinda não será fácil.

Vida de colegial norte-americanoé difícil, e todos os filmes parecem enfatizar isso. No filme não é diferente. Todos os clichês estão lá: os professores freaks, a amiga loira papagaio, as líderes de torcida, o banho depois da educação física, o professor durão e moralista que persegue os alunos. Apesar de presentes, eles não chegam a atrapalhar o filme por inteiro.

O interessante de notar-se na história é um dos fatos principais que envolvem estupro, o que a Lola discute muito em seu blog. Grande parte das mulheres que vivenciam esse horror são vitimadas por um conhecido e acabam não denunciando a monstruosidade por culpa. Exatamente, leitores, muitas mulheres acabam se achando culpadas pela agressão (veja o absurdo dessa inversão!) e têm medo de se expor por uma série de motivos. Assim parece ocorrer com Melinda, seu silêncio a consome a cada dia, suas notas caem drasticamente e ela é obrigada a conviver diariamente com o galanzinho que a violou. Há uma cena fantástica que retrata esse fato, quando a protagonista está no refeitório e seu algoz chega em sua mesa para conversar e a envolve com os braços, como um abutre. É a cena mais forte do filme, ainda pior que a cena do estupro (Aliás, tarados de plantão, não aparece nada na cena; guardem seus instintos).

De resto, o filme cumpre a cartilha. O roteiro utiliza os flash-backs com competência e a direção faz um trabalho bem fetinho. A trilha sonora cai bem, em sintonia com os sentimentos de Melinda. A ausência de músicas em vários momentos combina com o silêncio da personagem. Os atores coadjuvantes não se destacam, mas também não matam o filme, estão lá e cumprem sua função. Já Kristen Stewart cumpre muito bem seu papel. Penso que, se nada atrapalhar seu caminho, Kristen vai se tornar uma grande atriz. Ela possui uma característica que, para mim, é fundamental para separar o joio do trigo: a voz do silêncio. Sim, ela consegue se expressar muito bem apenas por olhares e expressões faciais.

Assim, recomendo o filme para todos. O estupro não é uma questão puramente feminina, mas masculina também. É bom que haja cada vez mais homens que se proponham a ser ativamente contra essa prática brutal, uma vez que homem e mulher são apenas gêneros de uma mesma espécie. No fundo, somos todos seres humanos com as mesmas alegrias e medos. O nome original do filme, por si só, já é um apelo: SPEAK! (FALE!). O silêncio corrói.

14 Comentários

Arquivado em Crítica

14 Respostas para “Crítica: O SILÊNCIO DE MELINDA

  1. lola aronovich

    Oi, Renan! Que bom que vc embarcou nessa reflexão sobre o estupro. Abração, e boa sorte no vestibular!

  2. Renan

    Obrigado por comentar! É sempre válido embarcar em reflexões sobre assuntos como esse.

    Abração

  3. viviane

    certos filmes abordao a realidade sem fantasias. GRATA pela atencao

  4. JULCY!

    é meu caro vc estava certo.. olha so ond nossa querida Kristen Stewart CHEGOU…!

  5. Palloma

    a kristen sempre foi uma otima atriz, nunca duvidei disso, e agora que ela esta mundialmente conhecida- pelo filme crepúsculo com o papel de Bella-, é bom ver que ela não mudou no seu jeito, ela continua como ela é, e isso é bom pq mostra que o “sucesso” nao afetou de um modo a vida dela , para que ela tivesse que mudar o seu jeito.

  6. William

    O filme realmente causa um embrulho no estômago! Nos faz refletir sobre esse absurdo que é o estupro.
    Bela atuação da kristen. Recomendo o filme!

  7. iago maciel bruno

    Esse filme é ótimo, Realidade total, sim claro Kris é uma excelente atriz, os filmes com ela se tornam reais e nos faz entrar em sintonia com o filme, fora esse que é ótimoo assistam DOCES ENCONTROS vcs iram adorar sobre o tema abordado do filme, o enrredo, ahh OBS:esse filme ñ é para aqueles que passam pela vida com fultilidade e egocentrismo, é para seres HUMANOS que sentem algo mais que isso>
    vale mesmo apena assistir DOCES ENCONTROS com a excelente atriz KRISTEN.

  8. Monise

    Esse filme é muito bom . A Kisten Stewart e uma ótima atriz , em todos os filmes que ela faz ela consegue se encaixar perfeitamente em sua personagem e em minha opinião os filmes que ela mais se destaco foi em ‘O silêncio de Melinda’ , ‘O quarto do panico’ e em ‘Crepúsculo ‘ .

  9. jefferson

    Parabens amigo, estava na duvida se assistia ou nao agora com certeza vou ver o filme que parece ser uma obra prima .

  10. Cezar Augusto

    Uau, gostei da crítica, vou ver o filme, também concordo com vc a respeito da Kristen, vi outros filmes com ela, e é exatamente o que penso.

  11. eu amo a kristen,d++++,to nenhai qual filme ela faz ou dexa de fazer o que eu sei que ela é d=,é meu sonho é te ela,juntinho ami,sei que ñ sou um gato como eduarde mais eu teria uma chance.te amo…tenho 21anos

  12. KRIS FAN

    Olá, ja vi alguns filmes da Kristen Stewart… Já vi “o quarto do pânico” , “into the wild” , “twilight” etc… e admiro-a bastante! é a minha actriz favorita principalmente pela personalidade dela. esse filme deve estar muito bom, por isso podiam-me dizer onde é que posso ve-lo??

  13. Gabriela

    Achei muito legal o que você escreveu, acho a Kristen Stewart uma otima atriz. O filme é muito bom, me fez sentir que temos que falar tudo que sentimos porque se não dizemos nada vai ficando tudo pior.
    Ah, e tem gente aqui que não sabe escrever o nome de um personagem de Crepusculo que é Edward e não ” eduarde”.
    Boa Sorte

  14. Júh!

    É o melhor fime da Kristen,é um filme muito bom,daqueles q te fazem parar pra pensar,é forte e muito emocionante.
    EU RECOMENDO!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s