Crítica: JULIE & JULIA

Julia & Julia

Acompanhei a produção de Julie & Julia desde os primórdios, graças à admiração desmedida que tenho por Meryl Streep e que não é segredo para ninguém. Tive a oportunidade de conferir o filme na Mostra Internacional de São Paulo, mas preferi não fazê-lo para prestigiar os longas que nunca chegarão às telas brasileiras. Agora, com a estreia oficial do filme, pude conferir esse novo trabalho de Nora Ephron, que já trabalhara com Streep em A Difícil Arte de Amar e Silkwood.

Julie & Julia é um filme singelo e gostoso de se assistir. Baseado em duas histórias reais, o filme retrata o período em que a lenda da culinária Julia Child (Meryl Streep) ainda engatinhava na cozinha descobrindo sua paixão.  Quase cinquenta anos no futuro, Julie Powell (Amy Adams), infeliz com sua vida ordinária, resolve criar um blog e partilhar com o mundo sua experiência inusitada: cozinhar as 524 receitas do livro de Julia em 365 dias. Está pronto o cenário para receitas de dar água na boca.

Nora Ephron criou vários roteiros agradáveis de se assistir, alguns já imortais na categoria das comédias romanticas, como em Harry e Sally; em Julie & Julia a diretora/roteirista repete a dose. Ambas as histórias retratadas no longa são engraçadas, ao mesmo tempo inusitadas e banais e sempre sutis em suas insinuações. Além do mais, o roteiro cumpre a cartilha ao não dar predominância a nenhuma delas e manter-nos interessados tanto em Julie como em Julia. Singelo, divertido e ótimo para espairecer a cabeça antes de duas semanas de provas de final de semestre.

Meryl Streep e Amy Adams, apesar de não partilharem as telas (exceto pela TV…), repetem a dose de química já vista em Dúvida. Adams é simpática e fofucha, é uma boa atriz, mas ainda tem que comer um poquinho de feijão. Já Streep, nem precisava falar, está estupenda como sempre. Não vou chover no molhado e elogiá-la, mas só digo que ela conseguiu outra de suas proezas: imitar um sotaque inimitável. Recomendo a todos um video da verdadeira Julia Child para entender do que falo. Esse vídeo também serve para alguns que enxergaram a interpretação de Streep como quase caricata; na verdade, Julia era assim mesmo. Alô Academia, décima sexta indicação ao Oscar e, já está na hora, terceira estatueta para a rainha do cinema.

Julie & Julia vem no momento certo, ao acrescentar muitos ovos e manteiga em nossas vidas chatas e ascéticas, de calorias contadas e horas na academia. Essa relação de frieza e medo que desenvolvemos com nossos alimentos só tem a diminuir nossa riqueza civilizacional. Talvez o segredo para uma vida realmente saudável e feliz esteja em Julia Child: comer com prazer, amar o que faz e fazer muito sexo para gastar as calorias. Ninguém precisará de auto-ajuda.

5 Comentários

Arquivado em Crítica

5 Respostas para “Crítica: JULIE & JULIA

  1. Eu sou muito crítico em relação a essa nova safra (25 – 40 anos) de atrizes, e acredito que a Amy Adams deve ser criticada, sim! Nem fazendo papel de meiguinha ela se sai bem, e olhe que ela tinha tudo para ter uma boa aparição.

    Mas em suma, concordo contigo que, Julie & Julia é um longa para descontrair e relaxar, sem muitas pretensões, entretanto, uma coisa é bem verdadeira, ele re-valoriza o hábito pela boa gastronomia e o prazer em comer tão fora de moda com esses padrões de modelos esqueléticas e que só comem saladas. E claro, um excelente motivo para ver a Streep nas telonas!

    Abraço.

  2. Marcela

    Meryl está ótima! Não que isso seja algum tipo de novidade. Já sobre a Amy Adams, eu não a considero ruim, não, mas claro, ainda tem muito o que melhorar.

    Mas, justiça seja feita, vamos falar um pouquinho do Stanley Tucci. Quando foi anunciado pela imprensa que ele e a Meryl seriam um casal, eu tive maus pressentimentos. No entanto, acho que, dentro da proposta do filme, funcionou. Considero-o um tipo esquisito de ator que se destaca em papéis de coadjuvante e nunca vira principal. Podem perceber, ele faz um número bastante grande de filmes, com uma porcentagem de sucesso bem razoável, mas raramente aparece como leading.

    É claro, não considero Julie e Julia nenhuma obra-prima, mas com certeza é um filme gostoso de assistir.

  3. “Julie & Julia” tem os seus problemas, mas funciona. Talvez mais por causa de Streep, que está ótima e faz o longa parecer melhor do que realmente é.

  4. Marcela

    Ok, indicação pro GG como melhor filme e Meryl como melhor atriz.😀

  5. Pingback: Filme(s) da Semana « Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s