Arquivo da categoria: Embasbawards

Embasbawards 2010: Ator Coadjuvante

As grandes performances de 2009 na categoria:

Christoph Waltz

Christoph Waltz, por Bastardos Inglórios. Waltz fez um trabalho primoroso dando vida ao Coronel Hans Landa, que já lhe rendeu todos os prêmios da temporada e lhe dará  Oscar dia 07 de março. Impecável nos movimentos, sarcástico na voz, Waltz oscila com perfeição entre a caricatura e a seriedade, dando ao personagem tudo de que o filme precisava.

*

Philip Seymour Hoffman

Philip Seymour Hoffman, por Dúvida. Desde Capote, Hoffman conseguiu superar a alcunha de coadjuvante de luxo, entregando belos trabalhos nas categorias principais, como recentemente em Sinédoque, Nova York. Em Dúvida, Hoffman volta ao papel de coadjuvante ao embrenhar-se num duelo de excelência com Meryl Streep. Com a dúvida central do longa girando ao redor de Padre Flynn, só um mestre poderia dar ao personagem a ambiguidade necessária para a manutenção do clima do filme.

*

Stanley Tucci

Stanley Tucci, por Julie&Julia. Coadjuvante de luxo da vez, Stanley Tucci vem chamando a atenção desde O Diabo Veste Prada e em Julie&Julia repete a parceria de sucesso com Meryl Streep. Leve e preciso, Stanley é lembrado pelo Embasbawards também pelo conjunto de sua obra.

*

Michael Shannon

Michael Shannon, por Foi Apenas um Sonho. Shannon aparece pouco em Foi Apenas um Sonho, mas surpreende pela profundidade em que representa um doente mental oscilando na tênue linha entre consciência e crise. Sua cena fulcral, apesar de um tanto forçada pelo roteiro, dá espaço para que o ator brilhe em seu papel e tire o ar da audiência, que só respira novamente quando ele sai de cena.

*

Alan Rickman

Alan Rickman, por Harry Potter e o Enigma do Princípe. Alan Rickman vem fazendo um grande trabalho na série de Harry Potter, na qual dá vida ao mais complexo dos personagens de toda a trama. Em O Enigma do Princípe, apesar da audiência não saber,  Snape enfrenta um dos maiores dilemas morais de sua vida atribulada, o que transparece com maestria nas expressões sombrias e pesadas do personagem.

Deixe um comentário

Arquivado em Embasbawards

Embasbawards 2010: Elenco

Os filmes com os melhores elencos de 2009:

Dúvida

Dúvida – O filme de John Patrick Shanley foi celebrado por seu roteiro magistral e seu time de atores fora do comum. Não era para menos. A jovem Amy Adams surpreende no melhor papel de sua carreira. A coadjuvante Viola Davis rouba os holofotes  e uma indicação ao Oscar por apenas duas cenas, que transbordam uma sutileza incrível. Philip Seymour Hoffman e Meryl Streep trazem um verdadeiro duelo interpretativo dando vida a personagens que, de tantas nuances, só poderiam brilhar nas mãos de mestres.

*

Foi Apenas um Sonho

Foi Apenas um Sonho – Por que Kate Winslet foi indicado ao Oscar de Melhor Atriz por O Leitor, se muitos consideravam seu papel como coadjuvante? Uma das resposta é que se ela fosse lembrada por Foi Apenas um Sonho, Leonardo Di Caprio não poderia passar despercebido. Nesse filme, os dois dão um tremendo show como um casal perturbado pelas garras do cotidiano, enquanto Michael Shannon  despeja talento como um esquizofrênico dono de todas as verdades. E tem Kathy Bates para temperar.

*

Anticristo

Anticristo Pode um filme de dois atores figurar nessa categoria? Naturalmente, se seus trabalhos forem dignos de nota. Charlotte Gainsbourg ganhou o prêmio de melhor atriz em Cannes por sua performance assustadora e profunda. Se a fotografia de Lars Von Trier cria o sombrio no ambiente, Charlotte dá a dimensão humana a essa escuridão maléfica que ronda Anticristo. Willem Daffoe, no melhor papel de sua carreira, tampouco se apaga diante de sua mulher.

*

Frost/Nixon

Frost/Nixon – Frank Langella extremamente inspirado como o altivo Richard Nixon e Michael Sheen à vontade como o inseguro e atrevido apresentador David Sheen. Destaque também para o time de coadjuvantes que inclui Kevin Bacon e Rebecca Hall.

*

Almoço em Agosto

Almoço em Agosto – Pouco lembrado pelos cinéfilos online, o filme italiano teve distribuição reduzida no Brasil. Nem por isso deixa de ser a melhor comédia de 2009. O elenco compreende uma série de idosas ao redor de Gianni, um homem de meia idade. Não há nenhum destaque individual no elenco, mas juntos formam uma harmonia que cria o tom cômico. Merece ser lembrado como uma ode à terceira idade e às comédias inteligentes.

Deixe um comentário

Arquivado em Embasbawards

Embasbawards 2010: Roteiro Adaptado

Os destaques em roteiro adapatado nas telas brasileiras em 2009:

Deixa Ela Entrar

Deixa Ela Entrar – Dar voz a todas as sutilezas e nuances de uma história tão bela e complexa como a que vemos aqui é uma das proezas do roteiro adaptado de Deixa Ela Entrar. A tensão e a ambiguidade criadas criam uma atmosfera poderosa com a ajuda da direção competente de Tomas Alfredson. É o roteiro e a edição competente que transformam Deixa Ela Entrar na pérola de 2009, uma história de duas leituras.

*

O Leitor

O Leitor Alguns de meus colegas blogueiros não apreciaram muito O Leitor. Eu vi o filme como um dos melhores candidatos ao Oscar do ano passado. Baseado em um livro que traz questões humanas profundas que não se resumem à Segunda Guerra Mundial, o roteiro de O Leitor traz à tona conflitos poderosos e dá espaço para que Kate Winslet brilhe na performance que lhe rendeu o Oscar em 2009. Ainda que o filme tenha uma queda de qualidade no terço final, não penso que afete o resultado final da obra.

*

Dúvida

Dúvida Baseado na peça de mesmo nome dirigida por John Patrick Shanley, que também esteve à frente do roteiro e da direção do filme, Dúvida tem um roteiro preciso e enigmático que dá toda a força ao filme. Alguns o acusaram de ser excessivamente teatral, o que denuncia suas origens. Pode ser verdade, mas, para mim, não há demérito alguns nas linhas ambíguas que criam diálogos inesquecíveis e uma das maiores dúvidas da história do cinema.

*

Frost/Nixon

Frost/Nixon Frost/Nixon também foi lembrado no Embasbawards pela montagem que, em conjunto com o roteiro competente, dá uma força descomunal ao longa. Baseado também em uma peça e em um argumento que poderia tornar-se enfandonho, o roteiro não desliza na precisão e mantém o ritmo no duelo entre Frost e Nixon, tão memorável quanto a disputa entre Irmã Aloysius e Padre Flynn em Dúvida.

*

Quem Quer Ser um Milionário?

Quem Quer Ser um Milionário? – Uma história simples que, graças ao trio direção-roteiro-montagem competente, cativou milhões ao redor do mundo e rendeu oito Oscar ao filme. Apesar de achar o argumento de Quem Quer Ser um Milionário? conservador e enganoso, isso não tira os méritos do roteiro bem escrito e ritmicamente intenso.


Deixe um comentário

Arquivado em Embasbawards

Embasbawards 2010: Montagem

A categoria de montagem é uma das mais importantes de qualquer premiação, pois abrange um seguimento da arte cinematográfica que lhe único e determinante, acabando por levar um filme à glória ou ao fracasso. Abraços Partidos,  ao se utilizar de metalinguagem, bem o demonstra com o filme Chicas e Malenas. A montagem é uma das principais características que individualiza o cinema enquanto arte. O Embasbacado se lembra dos grande trabalhos de 2009:

Quem Quer Ser um Milionário?

Quem Quer Ser um Milionário? – O filme de Danny Boyle pode ser conservador ao extremo, mas sua forma de contar a história certamente determinou o sucesso de Quem Quer Ser um Milionário? Recheado de indas e vindas no tempo, diluídas perfeitamente no tempo presente, Boyle nos entrega um ritmo frenético com todas as pontas bem amarradas. Ao final, tudo se encaixa e a imersão é completa.

*

Bastardos Inglórios

Bastardos Inglórios – Apesar dos diálogos irônicos e lapidados que sempre permeiam os filmes de Quentin Tarantino, nem só de diálogos é feito um filme. O conjunto da obra de Bastardos Inglórios atinge tamanha qualidade graças à orquestragem dos elementos que Tarantino tem às mãos: as palavras, o silêncio e subversão da história. Tenazmente editados, criaram um dos melhores filmes de 2009.

*

Deixa Ela Entrar

Deixa Ela Entrar – A pérola de 2009 não poderia deixar de figurar nesta categoria. Não se engane com as sutilezas do roteiro ou com a plasticidade das imagens: cada quadro está em cena por um motivo e cada cena transmite algo importante para a montagem desse enigma sombrio que é Deixa Ela Entrar. A edição é tão competente que molda com perfeição a ambiguidade do roteiro: sob ângulos diversos, o filme pode ser uma linda histária de amor, amizade e alteridade ou uma fábula sombria de dominação e submissão.

*

Frost/Nixon

Frost/NixonPode não parecer, mas Frost/Nixon é um filme de ritmo intenso e grande parte de sua força vem da edição competente das batalhas verbais entre Frost e Nixon. Não fosse pelo trabalho competente da montagem, o roteiro afiado poderia facilmente tornar-se enfadonho.

*

O Anticristo

O Anticristo – Polêmico e sombrio. Ambiguo e impactante. O simbolismo da película de Lars Von Trier se intensifica com a sucessão competente de imagens e situações que, em conjunto, formam a mensagem maior da obra, qualquer que seja ela aos olhos de quem assiste. A edição aqui é responsável por dar forma aos signos e criar um crescendo de medo e angústia que explode no terço final, provocando asco ou catarse. E por que não ambos?

1 comentário

Arquivado em Embasbawards

Embasbawards 2010: Maquiagem

Sem grandes segredos, os destaques em Maquiagem nas estreias em 2009 no Brasil:

O Curioso Caso de Benjamin Button – Muitas vezes é difícil separar maquiagem e efeitos especiais em Benjamin Button, mas o trabalho da equipe é tão louvável quanto o de efeitos visuais. A sutileza das composições e o envelhecimento dos atores é magnífico a tal ponto que o longa certamente revolucionou a área. Cate Blanchett irreconhecível na cama do hospital é o ponto alto da categoria.

O Curioso Caso de Benjamin Button

Harry Potter e o Enigma do Príncipe – Apesar das reclamações dos fans sobre o conteúdo do sexto filme da franquia de Harry Potter, o longo trouxe agradáveis surpresas técnicas que renderam uma indicação também a categoria de efeitos visuais do Embasbawards 2010, revelando o aprimoramente da série desde o quinto filme. A maquiagem não fica atrás e merece os louros também.

Harry Potter e o Enigma do Príncipe

Arrasta-me para o Inferno – A volta de Sam Raimi, após a direção da franquia de Homem Aranha, para o estilo de filmes que o fez famoso criou um cenário interessante: um diretor conceituado num gênero tradicionalmente ligado ao cinema B. Dessa mistura inusitada saiu um “terrir” com ares de filme independente mas com produção de calibre. Nesse contexto, lembramos o trabalho de maquiagem capaz de criar tomadas realmente nojentas.

Arrasta-me para o inferno

Distrito 9 – Atualizo esta categoria porque quase cometo uma grande injustiça ao deixar Distrito 9 de fora da lista. Agradeço ao Blog Central de Prêmios pelo link sobre a maquiagem do filme, que é realmente impressionante. A caracterização dos aliens e a transformação gradual do protagonista são impecáveis.

Distrito 9

1 comentário

Arquivado em Embasbawards

Embasbawards 2010: Figurino

Todo ano aparece algum filme de época à la século XVIII ou XIX que abocanha os prêmios de figurino. Acontece que A Duquesa estreiou no Brasil em 2008 e o filme de época desta temporada, Young Victoria, ainda não deu as caras nas terras de cá. Nesse sentido, o Embasbawards  acontece com um vácuo de época na categoria de figurinos.  Tradicionalmente, os filmes que despontam nessa categoria são os que de alguma forma recriam uma época do passado com maestria através de seus guarda-roupas. Confira os destaques do ano de 2009 no Brasil:

O Curioso Caso de Benjamin Button – Tecnicamente brilhante, a singela história de Benjamin Button rendeu um filme visualmente apurado, o que já lhe rendeu uma menção na categoria de efeitos visuais. A competência da equipe se repete nna beleza e na diversidade dos trajes de época.

O Curioso Caso de Benjamin Button

Bastardos Inglórios – O roteiro inteligente e as atuações instigantes nos roubam a atenção, mas o figurino competente dos anos 40 no filme de Quentin Tarantino ajuda muito a ambientação desta vingança histórica dos judeus. Glória a todos os aspectos do longa.

Bastardos Inglórios

À Deriva – O filme brasileiro de Heitor Dhalia merece todos os louros da categoria, considerando as limitações das produções nacionais. O drama familiar investe a fundo na recriação das roupas e acessórios dos anos 80 de um Brasil praieiro, alcançando um visual fantástico e fidedigno.

À Deriva

Milk – A Voz da Igualdade – Retrato fiel da sociedade americana dos anos 1970, o figurino retrô de Milk contribui em muito para a ambientação do longa. Desde as roupas e acessórios mais sutis até as nuances da personalidade de Milk expressas em suas vestimentas, o trabalho de figurino do filme só acrescenta qualidade à trama bem desenvolvida.

Milk - A Voz da Igualdade

Austrália – Austrália pode ser chato e sem conteúdo, mas é visualmente lindo. Fruto da experiência do diretor de Moulin Rouge, o guarda roupa do longa metragem é perfeito na vestimenta de vaqueiros, banqueiros e aristocratas.

Austrália

Próxima categoria: Maquiagem

2 Comentários

Arquivado em Embasbawards

Embasbawards 2010: Som

Na segunda categoria do Embasbawards 2010, os melhores sons dos filmes que estreiaram em 2009 no Brasil. Essa categoria engloba tanto som quanto mixagem de som. Basicamente, essas categorias englobam a criação de sons de um filme, a forma como sons são captados e expressados na tela e sua mixagem que, em linguagem não técnica, significa colocar cada som no seu devido lugar em harmonia com o conjunto.  Só lembrando que as listas das premiações  deste blog não são hierárquicas.

Avatar

Avatar – O grande favorito de 2009 às categorias de sons não pode ser esquecido por esse blog. A magnitude técnica do filme de James Cameron não se limita aos efeitos especiais, se estendendo também à sonoridade poderosa que acompanha todas as cenas. O filme acerta ao criar os mágicos sons de Pandora e das cenas de ação e colocá-los na película com precisão e sutileza.

Star Trek

Star Trek – Os grandes filmes de ação e aventura geralmente dominam as categorias de sons e Star Trek não fica atrás. O divertido filme que trouxe de volta a franquia à atençao das audiências entra na linha de Avatar ao entregar efeitos estonteantes e um trabalho de som impressionante.

Quem Quer Ser um Milionário?

Quem Quer Ser um Milionário? – O frênesi de imagens do filme de Danny Boyle poderia perder em muito seus efeitos estonteantes se não fosse pela compentente edição e mixagem de sons do longa. Com um trilha sonora também empolgante, o vencedor do Oscar de 2009 é uma experiência sinestésica à altura da Índia.

O Curioso Caso de Benjamin Button

O Curioso Caso de Benjamin Button – Sutileza é a palavra de ordem ao se referir a este longa. Todo o compentente trabalho com efeitos especiais e maquiagem é repetido também pela equipe de sons.

Distrito 9

Distrito 9 – 2009 foi não apenas o ano do 9 no cinema, mas também o ano das ficções científicas. Distrito 9 fecha o ciclo deste gênero e entrega um excelente trabalho na área, com destaque para as cenas de ação e para a linguaguem dos alienígenas no filme.

Próxima categoria: Melhores Figurinos

Deixe um comentário

Arquivado em Embasbawards