Arquivo da tag: prêmios

Embasbawards 2010: Ator Coadjuvante

As grandes performances de 2009 na categoria:

Christoph Waltz

Christoph Waltz, por Bastardos Inglórios. Waltz fez um trabalho primoroso dando vida ao Coronel Hans Landa, que já lhe rendeu todos os prêmios da temporada e lhe dará  Oscar dia 07 de março. Impecável nos movimentos, sarcástico na voz, Waltz oscila com perfeição entre a caricatura e a seriedade, dando ao personagem tudo de que o filme precisava.

*

Philip Seymour Hoffman

Philip Seymour Hoffman, por Dúvida. Desde Capote, Hoffman conseguiu superar a alcunha de coadjuvante de luxo, entregando belos trabalhos nas categorias principais, como recentemente em Sinédoque, Nova York. Em Dúvida, Hoffman volta ao papel de coadjuvante ao embrenhar-se num duelo de excelência com Meryl Streep. Com a dúvida central do longa girando ao redor de Padre Flynn, só um mestre poderia dar ao personagem a ambiguidade necessária para a manutenção do clima do filme.

*

Stanley Tucci

Stanley Tucci, por Julie&Julia. Coadjuvante de luxo da vez, Stanley Tucci vem chamando a atenção desde O Diabo Veste Prada e em Julie&Julia repete a parceria de sucesso com Meryl Streep. Leve e preciso, Stanley é lembrado pelo Embasbawards também pelo conjunto de sua obra.

*

Michael Shannon

Michael Shannon, por Foi Apenas um Sonho. Shannon aparece pouco em Foi Apenas um Sonho, mas surpreende pela profundidade em que representa um doente mental oscilando na tênue linha entre consciência e crise. Sua cena fulcral, apesar de um tanto forçada pelo roteiro, dá espaço para que o ator brilhe em seu papel e tire o ar da audiência, que só respira novamente quando ele sai de cena.

*

Alan Rickman

Alan Rickman, por Harry Potter e o Enigma do Princípe. Alan Rickman vem fazendo um grande trabalho na série de Harry Potter, na qual dá vida ao mais complexo dos personagens de toda a trama. Em O Enigma do Princípe, apesar da audiência não saber,  Snape enfrenta um dos maiores dilemas morais de sua vida atribulada, o que transparece com maestria nas expressões sombrias e pesadas do personagem.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Embasbawards

Oscar 2010: Curta de Animação: LOGORAMA e THE LADY AND THE REAPER

Mais dois curta-metragens de animação indicados ao Oscar de 2010.

O primeiro é Logorama, animação francesa que se vale de mais de dois mil logos de marcas famosas para construir seu mundo e seus personagens. Os bonecos da Michelin dão corpo aos policiais, enquanto Ronald MacDonald é o grande vilão da história. Por trás dessa imensa criatividade que proporciona uma grande diversão, há um forte conteúdo crítico, que termina em um afogamento coletivo em petróleo que fala por si mesmo. A animação ganhou o prêmio de melhor curta-metragem no Festival de Estocolmo. Confira o filme em duas partes no Youtube:

Já The Lady and the Reaper é, na verdade, uma animação espanhola que se chama La Dama y la Muerte. Uma idosa viúva fica entre a vida e a morte, enquanto um médico egocêntrico e arrogante e a própria morte batalham por sua alma. No fim das contas, somos todos surpreendidos. A animação mistura com maestria um tema sensível e um ritmo frenético que garante bastante diversão sem a necessidade de diálogo algum. Confira o filme:

1 comentário

Arquivado em Oscar 2010

Embasbawards 2010: Montagem

A categoria de montagem é uma das mais importantes de qualquer premiação, pois abrange um seguimento da arte cinematográfica que lhe único e determinante, acabando por levar um filme à glória ou ao fracasso. Abraços Partidos,  ao se utilizar de metalinguagem, bem o demonstra com o filme Chicas e Malenas. A montagem é uma das principais características que individualiza o cinema enquanto arte. O Embasbacado se lembra dos grande trabalhos de 2009:

Quem Quer Ser um Milionário?

Quem Quer Ser um Milionário? – O filme de Danny Boyle pode ser conservador ao extremo, mas sua forma de contar a história certamente determinou o sucesso de Quem Quer Ser um Milionário? Recheado de indas e vindas no tempo, diluídas perfeitamente no tempo presente, Boyle nos entrega um ritmo frenético com todas as pontas bem amarradas. Ao final, tudo se encaixa e a imersão é completa.

*

Bastardos Inglórios

Bastardos Inglórios – Apesar dos diálogos irônicos e lapidados que sempre permeiam os filmes de Quentin Tarantino, nem só de diálogos é feito um filme. O conjunto da obra de Bastardos Inglórios atinge tamanha qualidade graças à orquestragem dos elementos que Tarantino tem às mãos: as palavras, o silêncio e subversão da história. Tenazmente editados, criaram um dos melhores filmes de 2009.

*

Deixa Ela Entrar

Deixa Ela Entrar – A pérola de 2009 não poderia deixar de figurar nesta categoria. Não se engane com as sutilezas do roteiro ou com a plasticidade das imagens: cada quadro está em cena por um motivo e cada cena transmite algo importante para a montagem desse enigma sombrio que é Deixa Ela Entrar. A edição é tão competente que molda com perfeição a ambiguidade do roteiro: sob ângulos diversos, o filme pode ser uma linda histária de amor, amizade e alteridade ou uma fábula sombria de dominação e submissão.

*

Frost/Nixon

Frost/NixonPode não parecer, mas Frost/Nixon é um filme de ritmo intenso e grande parte de sua força vem da edição competente das batalhas verbais entre Frost e Nixon. Não fosse pelo trabalho competente da montagem, o roteiro afiado poderia facilmente tornar-se enfadonho.

*

O Anticristo

O Anticristo – Polêmico e sombrio. Ambiguo e impactante. O simbolismo da película de Lars Von Trier se intensifica com a sucessão competente de imagens e situações que, em conjunto, formam a mensagem maior da obra, qualquer que seja ela aos olhos de quem assiste. A edição aqui é responsável por dar forma aos signos e criar um crescendo de medo e angústia que explode no terço final, provocando asco ou catarse. E por que não ambos?

1 comentário

Arquivado em Embasbawards

Embasbawards 2010: Maquiagem

Sem grandes segredos, os destaques em Maquiagem nas estreias em 2009 no Brasil:

O Curioso Caso de Benjamin Button – Muitas vezes é difícil separar maquiagem e efeitos especiais em Benjamin Button, mas o trabalho da equipe é tão louvável quanto o de efeitos visuais. A sutileza das composições e o envelhecimento dos atores é magnífico a tal ponto que o longa certamente revolucionou a área. Cate Blanchett irreconhecível na cama do hospital é o ponto alto da categoria.

O Curioso Caso de Benjamin Button

Harry Potter e o Enigma do Príncipe – Apesar das reclamações dos fans sobre o conteúdo do sexto filme da franquia de Harry Potter, o longo trouxe agradáveis surpresas técnicas que renderam uma indicação também a categoria de efeitos visuais do Embasbawards 2010, revelando o aprimoramente da série desde o quinto filme. A maquiagem não fica atrás e merece os louros também.

Harry Potter e o Enigma do Príncipe

Arrasta-me para o Inferno – A volta de Sam Raimi, após a direção da franquia de Homem Aranha, para o estilo de filmes que o fez famoso criou um cenário interessante: um diretor conceituado num gênero tradicionalmente ligado ao cinema B. Dessa mistura inusitada saiu um “terrir” com ares de filme independente mas com produção de calibre. Nesse contexto, lembramos o trabalho de maquiagem capaz de criar tomadas realmente nojentas.

Arrasta-me para o inferno

Distrito 9 – Atualizo esta categoria porque quase cometo uma grande injustiça ao deixar Distrito 9 de fora da lista. Agradeço ao Blog Central de Prêmios pelo link sobre a maquiagem do filme, que é realmente impressionante. A caracterização dos aliens e a transformação gradual do protagonista são impecáveis.

Distrito 9

1 comentário

Arquivado em Embasbawards

Embasbawards 2010: Som

Na segunda categoria do Embasbawards 2010, os melhores sons dos filmes que estreiaram em 2009 no Brasil. Essa categoria engloba tanto som quanto mixagem de som. Basicamente, essas categorias englobam a criação de sons de um filme, a forma como sons são captados e expressados na tela e sua mixagem que, em linguagem não técnica, significa colocar cada som no seu devido lugar em harmonia com o conjunto.  Só lembrando que as listas das premiações  deste blog não são hierárquicas.

Avatar

Avatar – O grande favorito de 2009 às categorias de sons não pode ser esquecido por esse blog. A magnitude técnica do filme de James Cameron não se limita aos efeitos especiais, se estendendo também à sonoridade poderosa que acompanha todas as cenas. O filme acerta ao criar os mágicos sons de Pandora e das cenas de ação e colocá-los na película com precisão e sutileza.

Star Trek

Star Trek – Os grandes filmes de ação e aventura geralmente dominam as categorias de sons e Star Trek não fica atrás. O divertido filme que trouxe de volta a franquia à atençao das audiências entra na linha de Avatar ao entregar efeitos estonteantes e um trabalho de som impressionante.

Quem Quer Ser um Milionário?

Quem Quer Ser um Milionário? – O frênesi de imagens do filme de Danny Boyle poderia perder em muito seus efeitos estonteantes se não fosse pela compentente edição e mixagem de sons do longa. Com um trilha sonora também empolgante, o vencedor do Oscar de 2009 é uma experiência sinestésica à altura da Índia.

O Curioso Caso de Benjamin Button

O Curioso Caso de Benjamin Button – Sutileza é a palavra de ordem ao se referir a este longa. Todo o compentente trabalho com efeitos especiais e maquiagem é repetido também pela equipe de sons.

Distrito 9

Distrito 9 – 2009 foi não apenas o ano do 9 no cinema, mas também o ano das ficções científicas. Distrito 9 fecha o ciclo deste gênero e entrega um excelente trabalho na área, com destaque para as cenas de ação e para a linguaguem dos alienígenas no filme.

Próxima categoria: Melhores Figurinos

Deixe um comentário

Arquivado em Embasbawards

Mini Critica: PRECIOUS

Todo ano eh a mesma coisa: muitas interpretacoes dignas do Olimpo e apenas uma delas vai sair coroada com a estatuera dourada do Oscar. Isso esta profundamente errado, e quando assisti a Precious o conflito surgiu denovo. Todo mundo sabe que Julianne tem minha torcida para o Oscar de coadjuvante deste, mas ai me aparece Mo’nique e divide meu coracao. E Gabourey Sidibe tambem faz um trabalho espetacular, mas provavelmente vai concorrer com Meryl Streep. Acho que vou parar de pensar nesses quesitos… Oscar pra todo mundo!

Quanto ao filme, gostei muito. Poderoso. Sem tempo nem acentos para comentar mais…

3 Comentários

Arquivado em Crítica

Mini critica: AN EDUCATION

An Education

O bom de estar no Canada eh a oportunidade de assistir a todos os filmes que concorrem em premiacoes antes que os premios sejam entregues, o que sempre causa uma frustracao nos brasileiros. O ruim eh que nao consigo colocar acentos nas palavras. Mas acho que uma coisa bem compensa a outra, nao?

Com um elenco ja premiado e Carey Mulligan na corrida pelas estatuetas, An Education eh um belo filme. Bem conduzido, o time de atores tira do roteiro sincero sentimentos que me arrepiaram varias vezes. Cheio de sutilezas, An Education eh um retrato tanto da pre-revolucao dos anos 1960 quanto de conflitos atemporais que atormentam os jovens ateh hoje. Quando chegar ao Brasil eu comento com mais propriedade, soh para nao perder a tradicao.

Carey Mulligan esta muito bem em seu papel, mas nao acredito que leve os premios pelo fator idade. Se estiver errado, ela merece de qualquer forma.

Deixe um comentário

Arquivado em Crítica